INCITE

7 erros capitais no marketing para pequenos negócios

Empreender hoje em dia em Portugal, não é “empreitada” para qualquer pessoa. E frente a tantos desafios, um dos que mais assustam os empreendedores é: “como investir no marketing da minha empresa?”. E não é para menos, até um tipo que seja o melhor dentista lisboa, pode perceber muito de clínicas dentárias, mas vai errar na hora de desenhar uma estratégia de marketing. E vai perder clientes por causa disso. Por isso, e como o velho ditado diz “Mais vale prevenir, que remediar”, deixo aqui a lista dos 7 erros capitais do Marketing para PME’s:

  1. Acreditar que o Marketing é apenas para as grandes empresas

O Marketing é democrático. Existem estratégias para todos os segmentos, dimensões de empresas e principalmente, para todos os bolsos. Pode começar por criar um logótipo profissional, e investir de seguida em criar o material institucional. O mais importante é perceber como tudo funciona, o que seu público-alvo procura e como quer que interaja com a sua marca.

  1. Deixar o “amigo” criar a marca

A marca do negócio será responsável por muitas “primeiras impressões”, e já todos ouvimos que a primeira impressão é que conta! Todas as vezes que alguém vir a marca num anúncio, num cartão de visitas ou numa revista, ela causará uma reação, podendo esta ser positiva, negativa ou simplesmente indiferente. Por isso, o processo de criação do logo profissional e da imagem corporativa é dos mais importantes na criação de uma empresa, e por isso mesmo, não vamos querer deixar este passo não importante nas mãos de um amador, certo? A imagem corporativa é uma etapa séria e é também parte importante do sucesso da empresa.

  1. Não investir na sua equipa como Canal de Comunicação

Nos primeiros anos de uma pequena empresa, o empreendedor está normalmente frente a frente com os seus clientes (reuniões, telefonemas, etc). Mas com o passar do tempo e com o crescimento do negócio (partindo do principio que tudo corre bem e isso acontece), o ideal é a transição para liderar os membros da sua equipa, em vez do dia-a-dia a lidar com clientes. Por essa razão, a sua equipa tem de estar alinhada com os valores da empresa.

  1. Cometer erros de principiante e pensar que ninguém reparou

Quem é que nunca deu aquele pequeno erro de gramática que nos passou despercebido e que seguiu no e-mail? Ou o outdoor aprovado que saiu sem o endereço do website da empresa? Estes erros geram muito mais controvérsia e têm muito mais consequências nas grandes empresas, no entanto, não é por isso que podemos deixar transparecer amadorismo da nossa parte ao relevar esses erros.

Existe uma frase que ouvi uma vez e que se aplica nesta situação “Não precisamos de ser grandes, apenas precisamos de parecer grandes” e isto faz todo o sentido nestas situações; é possível apresentarmos a empresa excelentemente e fazermos um serviço de alta qualidade, sem precisarmos de ter uma grande estrutura e um escritório no centro de lisboa. O que precisamos é simplesmente de entregar um resultado excelente e ter uma imagem tratada e profissional.

  1. O Marketing ser passado para “segundo plano” para poupar no budget

O Marketing não é um custo, é um investimento. Investimento esse que, quando bem feito, se paga sozinho. Este é um dos princípios de um bom resultado de uma campanha de Marketing. Se realizarmos uma boa campanha e os resultados não acontecerem, algo estará errado ou na estratégia, ou na execução, ou possivelmente no produto em si. De facto, é muito simples, se não investimos em novas formas de angariar novos clientes, quem comprará o nosso produto?

  1. Não medir os resultados das campanhas

É essencial medir o ROI (Return of Investment) das campanhas de marketing, porque só assim se conseguirá saber se se está a aplicar bem o dinheiro ou não. Algumas estratégias são mais simples de avaliar, como por exemplo campanhas de marketing digital em que é possível saber exatamente quantas conversões foram feitas.

  1. Vender o produto

Vender o seu produto pode ser um dos maiores erros de uma empresa. O que é que isto quer dizer? É simples, o potencial cliente não quer massa de trigo, água, fermento e cereais, o que ele quer um pão acabado de fazer, quente e saboroso para o seu pequeno almoço.

Compreende onde está a diferença? O cliente adquire um produto porque vai ganhar algo com isso, porque lhe vai trazer benefícios. Outro exemplo: um software de gestão financeira irá evidentemente organizar as contas de uma empresa, informar do dinheiro em caixa, alertar para contas a pagar, etc. Mas na verdade, utilizamo-lo para ganhar tempo para outras atividades e estar descansados por saber que facilmente temos acesso a todos os dados financeiros da empresa muito bem organizados.

Por isso, a questão principal que qualquer empreendedor ou gestor de PME se deve colocar é: Por que razão um potencial cliente irá usar o meu produto ou contratar o meu serviço? Qual é o real problema que lhe estou a resolver? Qual será o feedback dele ao meu produto ou aos meus serviços? Ao pensarmos assim, torna-se mais fácil chegar à origem do problema, e claro, à sua solução.

Scroll To Top